19th Ave New York, NY 95822, USA

Inteligência Emocional e o Marketing

Elemento decorativo neurônio
Inteligência Emocional e o Marketing
Em tempos de tecnologias e automações no contato com clientes, é imprescindível ter em mente a relação dos aspectos humanos envolvidos na Inteligência Emocional e no Marketing.
Porém, quais são esses aspectos? A atenção que os estudos mercadológicos dão à Psicologia não são mais novidade: campos específicos como Comportamento do Consumidor, por exemplo, utilizam-se de conceitos da Psicologia para buscar compreender o que motiva as pessoas a determinadas atitudes.
Nesse sentido, um dos conceitos mais utilizados nas últimas décadas é o de Inteligência Múltiplas, proposto por Howard Gardner na década de 1980. Essa teoria traz a noção de que a inteligência humana não se trata de uma capacidade cognitiva única mas, sim, da manifestação de diferentes capacidades.
Tais capacidades - as chamadas inteligências múltiplas - estão presentes em todas as pessoas, porém em diferentes níveis. Elas são divididas em oito áreas: Linguística, Musical, Lógica/Matemática, Visual/Espacial, Corporal/Cinestésica, Interpessoal, Intrapessoal e Naturalista.
Inteligência Múltiplas

E a Inteligência Emocional?

Já na década de 1990, o psicólogo e jornalista Daniel Goleman publicou o livro “Inteligência Emocional”, onde propõe esse conceito enquanto a capacidade que o indivíduo tem de identificar seus próprios sentimentos e os dos outros, de se motivar e de gerir bem suas emoções.
A Inteligência Emocional possui cinco pilares que visam não somente mostrar o caminho rumo a essa inteligência, mas também ajudar a compreender como ela funciona:
Daniel Goleman Inteligência Emocional
  • 1 – Conhecer as próprias emoções
  • 2 – Controlar as emoções
  • 3 – Automotivação
  • 4 – Empatia
  • 5 – Saber se relacionar interpessoalmente.

A Inteligência Emocional no Contato com Clientes

Aplicar os conceitos de Goleman é uma ótima forma de criar estratégias de Marketing e refletir a maneira pela qual seus clientes se relacionam com sua marca. E isso pode ser feito através da aplicação simples dos cinco pilares. Veja abaixo:
Pilar 1: a partir do conhecimento profundo de sua marca, do que ela oferece e da maneira como ela é percebida no mercado, é possível planejar ações que sustentem ou alterem essa percepção.
Pilar 2: entender que o público se envolve emocionalmente com marcas e que a forma com a qual a marca se apresenta impacta esse envolvimento é vital. Por isso, é importante buscar um contato natural, sincero e não-invasivo.
Pilar 3: mostrar ao público a motivação da marca e o interesse real em resolver um problema certamente ajuda no envolvimento.
Pilar 4: o contato com o cliente não pode ser apenas uma maneira de empurrar os interesses da marca mas, sim, de estabelecer relacionamento e entender as necessidades do público.
Pilar 5: finalmente, é imperativo desenvolver o contato da forma mais humana possível, demonstrando autenticidade e interesse.
Em uma era definida pelos avanços tecnológicos e as facilidades que vêm por causa deles, é ainda mais importante ter em mente a dimensão humana e emocional nas tomadas de decisão. As empresas que melhor praticam sua própria Inteligência Emocional são aquelas que estão criando relações duradouras com seus clientes e se perpetuando no mercado.
Quer conhecer formas inovadoras e tecnológicas de estabelecer relações duradouras com seu público? Entre em contato para uma consultoria focada em fazer sua empresa realizar mais!
Privacy Preferences
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.